Arquivo da categoria: rio de janeiro

Artigos sobre a cidade do Rio de Janeiro.

A Praga das Olimpíadas

Assistimos todo dia este Brasil desordenado e continuamos a nos perguntar como vai ser a realização das Olimpíadas por aqui. Um artigo do site The Daily Beast (thedaiybeast.com) traz más notícias para quem acredita que o Rio vai ganhar com a realização dos jogos em nossa cidade. Os dados compilados por estudiosos do assunto mostram que não se comprova o famoso argumento de que os turistas vão correr para a cidade que realiza uma edição dos jogos olímpicos modernos. Os orçamentos estouram. Populações pobres são deslocadas. O evento ocorre. Alguns poucos ganham muito dinheiro e a cidade sede fica com as dívidas para administrar. Montreal foi o maior fracasso. Seu orçamento atingiu oito vezes o previsto. Outras cidades não chegaram a tanto. Mas os custos altos são a rotina nesses megaprojetos. Notem que não falam de corrupção, obras superfaturadas ou preços majorados pelo golpe do atraso das obras. Claro que o Rio não é esse caso.

O interessante do artigo é a argumentação realista de que os custos de uma Olimpíada não se pagam. Depois do evento, linhas de trem e metrô ficam subtilizadas. Estádios caríssimos são abandonados. Um idealista sugeriu que uma ilha da Grécia fosse selecionada para abrigar os Jogos permanentemente. A idéia é excelente, entretanto a sugestão não incluiu a maneira dos espertos enriquecerem com os orçamentos. Resultado: a Ilha das Olimpíadas foi esquecida.

A sina das Olimpíadas é forte e tem acontecido com regularidade de quatro em quatro anos. As cidades sofrem com obras por anos que antecedem os Jogos. Áreas de população pobres são remanejados sob o discurso da revitalização. Os empreendedores ligados ao projeto olímpico enriquecem. Por alguns dias a cidade sede assiste o brilho da competição. Depois, ela é esquecida, cai na rotina, e ficam as dívidas para serem pagas pelos anos a frente.

É claro que no Rio de Janeiro isso não vai acontecer.

Os helicópteros de Sergio Cabral

Proposta:

o governador pode usar helicóptero para trabalhar, mas o povo do Estado do Rio de Janeiro nao lhe concede o luxo de ir e voltar do trabalho de helicóptero. Se ele tem casa no balneário de Angra dos Reis, que pague do próprio bolso o mimo de ir e voltar voando pelos céus do litoral do estado.

Eu não sei o que a media está procurando tirar de Cabral. De repente, descobre-se os malfeitos do governador outrora querido de todos. Eu também estou querendo apertar seu saco. É estranho vê-lo candidamente declarar na TV que todo mundo faz a mesma coisa. Não é todo mundo. O Estado de São Paulo só tem dois helicópteros. O Rio tem sete. Por quê? O motivo devem ser nossas montanhas… Que nada. Cabral é um homem rico. Gosta de viver como rico. Gosta de se acompanhar dos ricos. Andar de helicóptero tem tudo a ver com seu status de milionário.

Ele foi pego com a mão na botija. O governador podia andar de lá pra cá de helicóptero. Mas a família viajar para a casa milionária em Angra às minhas custas faz parte do descaramento dos governantes de nossa república de bananas.

Que tal a gente aproveitar o embalo e não votar mais no moço rico que gosta de andar de helicóptero? É o mesmo moço amigo do Cavendish, que bota lenço na cabeça em restaurante caro de Paris. Até hoje eu não entendi o detalhe do uniforme da quadrilha. Lenço na cabeça? Fica a pergunta que não quer calar: De onde veio toda a grana do Sergio Cabral? Sem ofensa. Será que vem do escritório de advocacia de sua mulher, que defende os interesses dos donos das empresas de ônibus do Rio, que o Cabral devia controlar para que o serviço fosse melhor? Ou é dos contratos com o apresentador Luciano Hulk?

Que esse seja mais um motivo para o povo ir pra rua xingar o governador. Ir pra rua de seu apartamento de rico no Leblon cobrar melhorias na gestão da cidade. Achei aquele povo que acampou por ali meio bobo. Começo a entender onde está a raiz de nossos problemas.

Eu não quero mais leis, quero fatos!

É tudo enrolação. Dizer que corrupção é crime hediondo não é nada se os corruptos continuarem a acabar soltos. O pessoal do Mensalão foi julgado até no nível mais alto da hierarquia jurídica brasileira e continua todo mundo solto. Dizer que vai mudar não vale. Mudança agora! Tem que mostrar ações. Tem que romper com Renan Calheiros. Tem que reduzir ministérios criados para pagar apoio político. Tem que reduzir gastos de propaganda, muito úteis para enganar o povo dourando a pílula e adoçando os bolsos dos órgãos de imprensa, que ganham horrores na publicidade. É isso que queremos de Dilma. E do Cabral? Ele tem condições morais de se opor aos interesses das empresas de ônibus, se sua esposa é a advogada que defende os direitos das mesmas empresas? Isso é no mínimo inapropriado e, no máximo, formação de quadrilha. Se eu conseguisse fazer isso impunemente, não teria vergonha de ser fotografado de guardanapo na cabeça com empresários de má fama em restaurantes de luxo em Paris.

Minha torcida é para que as manifestações se concentrem em pedir providências bem objetivas. Diminuir 20 centavos nas passagens, interromper obra nababesca em estádio que não vai gerar nada para a população, reduzir cargos e ministérios pagos com o altíssimo imposto que pagamos. É por aí. Não nos deixemos ser enganados por manobras protelatórias. Em tempo: protelatório quer dizer “deixar para depois a realização de (algo); adiar, retardar,”

A Culpa é da Imprensa

Vocês pensam que eu vou reclamar da Imprensa por ela estar dando força para as manifestações. Ledo engano. É exatamente o contrário. Peguei como exemplo a edição de hoje de O Globo. Resumo: 99% do jornal cobre as ações dos vândalos e baderneiros. Procurei no jornal e não vi imagens dos cidadãos que foram às ruas clamar contra corrupção e má administração do dinheiro público. Talvez 1% do jornal trate dos 99% dos cidadãos que foram em paz para rua reclamar. Por quê? Incompetência? Falta de visão? Foco em notícias escandalosas?

Como sou adepto das teorias conspiratórias, vejo a postura da Imprensa como escolha bem definida pelo posicionamento conservador do lado do governo. Também tem o interesse econômico. Aliás, quando é que o dinheiro nao está por trás das ações das empresas? Por que iriam as Organizações Globo informar que o grande investimento na Copa das Confederações, juntamente com seus sócios, prefeituras e a idônea FIFA, está sendo questionado pelo povo nas ruas? Pois é. Não vamos ver nos jornais ou na TV os cartazes pedindo a saída de Renan Calheiros, denunciando as vantagens da namorada do Lula e as conhecidas falcatruas nacionais, que aparentemente estavam passando desapercebidas pelo povo. A cobrança que queremos ter hospitais com padrão FIFA, explode nas redes sociais. Enquanto isso, os jornais publicam esta cobrança num cantinho de página.

Por isso tudo, acho que o povo vai continuar nas ruas clamando por transparência e respeito. Eu apoio.

Manifestações e Ingenuidade

Parecia bonito. É bonito! Mas não sejamos ingênuos. Os marginais estão aí. Os imbecis gerados nas favelas estão aí. A oportunidade é excelente. Que tal ir pra rua, ocultado pela multidão, para quebrar e roubar impunemente? Aproveitar a perplexidade da polícia, que costuma bater indiscriminadamente, hoje paralisada pela cobrança da sociedade pelo direito de se manifestar. Uma delícia. Os políticos devem estar a sorrir. O movimento que tanto assustou a eles está perdendo o brilho pela ação dos baderneiros.

Ainda assim, insisto: abaixo Renan Calheiros, fora com a PEC 37, crime hediondo para a corrupção, crucificação para Feliciano…