mais uma pirâmide: o Golpe dos Contêineres

piramide

o golpe de pirâmide que ficou famoso por noticiarem que envolvia o jogador Romário

Mais um caso de corrente ou, como estão mais conhecidas, pirâmide. O modelo continua eficiente. Agora foi o esquema da venda de contêineres. Dessa vez, a história ganhou notoriedade por envolver o nome do jogador Romário que entrou como avalista do esquema. O jogador é corajoso. O negócio, fadado a dar errado, envolvia policiais, bicheiros, jogadores de futebol … Era pra acabar em tiroteio. E acabou. Já teve assassinato na história. Também se fala da participação de pastores de igrejas, que usavam o culto para vender o negócio abençoado.

O caso atual consistia na compra de contêineres pelos investidores. Eles acreditavam que os contêineres seriam alugados, rendendo da ordem de 7% ao mês. O que acontece num caso como esse é que não há contêiner algum ou, pelo menos, nos números que são divulgados no movimento do negócio. O dinheiro das pessoas que entram na corrente, acreditando que compram contêiner para alugar, serve para pagar o falso dinheiro do aluguel de quem entrou mais cedo no esquema. O fato de pagar aqueles que entraram cedo na corrente serve para dar aparente seriedade ao negócio e atrair mais investidores, cuja grana vai ser usada para manter o golpe funcionando. Chega um momento em que a grana dos que chegam diminui – afinal não há tanto otário disponível – e falta dinheiro para pagar o falso aluguel que os investidores recebem. Então, a corrente quebra. Quem ganhou no início sai feliz. A maioria, que entrou mais tarde, fica a ver navios.

A melhor maneira de distinguir negócios que servem de fachada para um esquema de pirâmide é olhar para o lucro. O mercado oferece hoje cerca de 0,6% de rendimento mensal. É razoável se acreditar em um negócio moleza que ofereça lucro de 7% ao mês? Se você acredita nisso está a um passo de considerar Papai Noel uma realidade. Um ganho muito maior que o oferecido pelo mercado vem associado a maior risco! Quando o esquema é de uma pirâmide, o risco é de perder tudo. Pô, pessoal, não tem dinheiro dando em árvores. Em geral, o contra-exemplo que desmascara o golpe é a pergunta: Se o negócio é tão bom, porque alguém está oferecendo para você? Se é tão maravilhoso, quem descobriu o negócio pode pegar dinheiro no mercado e ficar imensamente rico. Quando aparecer algum altruísta preocupado em fazer você ganhar dinheiro, desconfie. Ou melhor, desconfie de você: “Você não é mais esperto que os outros!”

Se você quer ver como o golpe funciona, clique aqui e veja nosso artigo detalhado sobre o assunto.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.