Palavra da semana: CONTRAPARTIDA

O noticiário tá sempre acrescentando novas palavras ao vocabulário do dia a dia. Às vezes, algumas palavras vêm carregando novos significados. A palavra da semana foi “contrapartida”. A delação da Odebrecht mostrou que o dinheiro pedido para as campanhas dos políticos brasileiros traziam referências explícitas ou disfarçadas a futuros “agrados” que seriam feitos à empreiteira em assuntos de seu interesse. 

Agora, só nos resta apreciar os memes que serão criados explorando as diversas versões de contrapartidas. Pelo menos assim a gente ri. 

Trumpismo…

 the Los Angeles Times’s Vincent Bevins, who wrote that “both Brexit and Trumpism are the very, very wrong answers to legitimate questions that urban elites have refused to ask for 30 years.” Bevins went on: “Since the 1980s the elites in rich countries have overplayed their hand, taking all the gains for themselves and just covering their ears when anyone else talks, and now they are watching in horror as voters revolt.”

Melhor comprar parcelado ou à vista com desconto?

O cidadão comum não entendem nada de matemática financeira. Juros são uma abstração complicada que o povão trata da maneira mais simples: paga o que lhe pedem! O povo vive cercado de ofertas que utilizam expressões como “juro zero” ou “tantas vezes sem juros”. As empresas que usam essa conversa estão no limiar da mentira deslavada. Na verdade, já passaram desse limiar faz tempo. Dizer que pagar um preço cheio à vista é igual a pagar o mesmo preço em certo número de parcelas é mentira pura e simples. É boa maneira de treinar o cidadão para ser ludibriado.

O aplicativo Melhor à Vista? ajuda as pessoas a escolherem certo entre comprar em prestações e pagar à vista. O app calcula o valor do desconto a partir do qual é melhor fazer a compra à vista. Com ele, o consumidor pode facilmente fazer as contas que precisa para não passar por otário. Para mais detalhes, veja o site do aplicativo Melhor à Vista

Caetano cantou na posse da nova presidente do STF Carmem Lúcia

Foi bonito. Caetano é um dos gênios da música brasileira e, sem dúvida, do mundo. Gênio não tem nacionalidade. O evento da posse de Carmem Lúcia foi um pouco diferente do provável protocolo mais sisudo. 

Eu queria que fosse mais sisudo. A ministra assumia, fazia um breve discurso apontando os problemas que vai endereçar em seu mandato à frente do STF e todos ao trabalho. Me incomoda essa presepada que cerca tudo que acontece no STF. É tudo sofisticado e hermético. Fala-se um português só entendível por uns poucos iniciados. Os depoimentos são ricos em citações literárias que pouco têm a ver com o tema que deveria ser o centro das atenções: Justiça. 

E lá foi Caetano cantar na posse da ministra. No meu aniversário ele não cantou. O cachê do nobre artista é altíssimo com razão. Mas ele não cobrou nada. Foi em deferência à amiga. Ou uma gentileza com Sua Excelência a fã. 

Me coça a pergunta: Se Caetano ligar pra Carmem Lúcia para fazer lobby de algum interesse dele ou da classe artística, a ministra atende a ligação? Se tu ligar, ela atende? Será ela mais simpática ao que serve a Caetano? Sei não. Preferia um evento menos cool. Caetano podia enviar uns ingressos de seu próximo show para a Ministra. Ela poderia aceitar, claro, se o valor dos ingressos for inferior ao limite estipulado pelas normas éticas do STF. 

Depois que reli o texto acima, aprendi mais uma coisa: sou ingênuo mesmo. 

Prisão pra Cunha

O subtítulo do site passou muitos meses como “Fora Cunha! (por quanto tempo teremos que manter essa demanda?)”. Enfim tiraram o cara. Caçaram seu mandato. Agora ele não tem mais foro privilegiado. Vai cair a qualidade do seu sono. Ele é a esposa vão ter pesadelos com o juiz Sérgio Moro. É a vida. Minimamente, no Brasil, alguns estão colhendo o que plantaram. Mudaremos nosso subtítulo para “Cunha preso!”.

Brasil tá dando show na Olimpíada 2016: de incompetência!

Vamos lá. Resgate de chefe no tráfico no maior hospital público do Rio, no Centro da cidade. A passarela de São Conrado caiu ridiculamente jogada pro alto por uma onda de ressaca. Uma jovem sofreu abuso por cerca de trinta homens que aproveitaram pra documentar o evento. Do lado dos que deveriam garantir a segurança, a PM é uma fábrica de viúvas. Morre policial toda semana. No futebol – sempre o futebol dominando nossa simbologia – perdemos  logo no início da Copa América. Nada de novidade, desde o 7×1 que levamos da Alemanha, nossas mazelas decidiram sair de debaixo do tapete. A operação Lava-Jato vem apontando os donos de nossas capitanias hereditárias. Ou vocês acham que é coincidência filhos de Sarneys e Lobões já estarem assumindo cargos importantes no país. Nosso legislativo vai acabar em boa parte preso. O que vem depois?

Já gastei bastante tempo me lamuriando. Este país está um brasil. Curioso e amedrontador é prever como ficaremos depois da Olimpíada. O sonho do Brasil moderno foi pro cacete. O que fica?

Cunha preso!