afinal quem tem colhão no Brasil?

Começou o ano. Como todos sabem, sou um sujeito influenciável. Cada coluna do Merval Pereira que eu leio em O Globo, aumenta meu ódio ao PT. É irresistível.

A impressão que marca, nestes primeiros dias do ano, é que o governo está meio perdido. O PT fez a coisa mais importante para um partido: comprou e vendeu o que fosse necessário para ganhar a eleição. Apostou todas as fichas. Corre o boato que o marqueteiro do PT levou 70 milhões de reais de prêmio pela eficiente campanha eleitoral que conduziu. Foi uma sugeirada só, mas os fins justificam os meios. O prêmio foi ganhar um país. Certo? Dentre as fichas apostadas entra nosso dinheiro. Talvez algum do que saiu das propinas da Petrobras e foi parar na verba de campanha. Mas o fato é que Dilma levou a taça. E aí começaram as decisões. E começou a lambança.

Veio um ministério torto. A área de Economia do ministério vai contar com pessoal afinado com o mercado. No resto (e bota resto nisso, são 39 ministérios) fez-se a usual distribuição de postos pelos partidos da base de apoio do governo. Competência ou afinidade com as áreas foram desprezadas. Entende-se. O momento é de pagar as dívidas com os aliados da campanha. O PT paga bem.

Mas logo no primeiro dia, já deu baixaria no relacionamento do presidente com o Ministro do Planejamento. Lá da praia na Bahia, de férias, Dilma deu esporro no ministro que antecipou mudança no cálculo do salário mínimo. Isso só deveria ser divulgado no segundo semestre, quando o povo já tivesse esquecido as promessas de campanha. O cara é alinhado com o partido, afinou. Emitiu nota dizendo que nada muda na casa de Noca.

A grande expectativa, minha e das agências de rating, em 2015, é ver se o brasileiro tem bolas ou elas são apenas um adereço de carnaval. Quem é que vai botar o pau na mesa e reagir às broncas da gerentona que não gerencia? A procura vai ser difícil. O povo saiu das ruas. Os engenheiros da Petrobras já puseram o galho dentro. Engoliram a presidente dizer em seu discurso de posse que o problema da empresa são malfeitos de alguns funcionários. Porra nenhuma! Os mais desatentos sabem que os desvios foram feitos por prepostos do governo dela ou do anterior, aliás, quando a Dilma tinha acento no Conselho de Administração da empresa. Mas os empregados da Petrobras vão deixando, deixando, daqui a pouco não conseguem se candidatar nem a síndico de prédio, pois carregarão a pecha de corruptos inveterados. Como dizia meu compadre nordestino: “Quem muito arreganha, o cú aparece.”

Fica para acompanharmos em 2015: quem vai mostrar que tem colhão? Ou na forma mais popular, para os leitores do PT entenderem, quem mostrará que tem culhões?

Votemos em Aécio

As baixarias, vi mais as grosserias do PT. O partido e o governo fizeram uma campanha para iludir o povo. O fato é que a corrupção foi orquestrada pelo PT e seus aliados para canalizar dinheiro para os cofres do PT ou de petistas mais sofisticados. Do outro lado, vi Dilma dizer que Marina é candidata do Banco Itaú. Enquanto isso, Dilma coletava 4 milhões de reais do banco para sua campanha. O PT faz campanha dizendo que Aécio bate em mulher e outras baixarias. Diz que ele vai acabar com salário mínimo e o bolsa família. O PT fez uma campanha sórdida, do tipo vencer a todo custo. Custou meu voto.

Dilma não me representa. É o poste que Lula nos impôs. Tô fora. Meu voto vai para Aécio.

o Brasil partido: 50% e 50%

Ainda falta uma semana para o segundo turno da eleição presidencial. Pelo andar da carruagem, além das baixarias da reta final, é certo que o Brasil vai ficar dividido pelo resultado. Ganhando o PT ou PSDB, a população se dividirá salomonicamente na escolha de seu candidato preferido. Apesar de muitos se censurarem em comentar, é fato que o nordeste e norte mais pobres, mais ignorantes (não me culpem, culpem o eterno Sarney, parceiro da Dilma, que arrasou o Maranhão) vão cerrar fileiras com a candidata do padinho Lula. Já o sul, mais preocupado com propostas de equilíbrio da economia ou da simples mudança, vai de Aécio. Parece que a corrupção do PT (não que outros partidos tivessem agido diferente se tivessem no poder) chocou a população. O eleitorado mais esclarecido e independente da Bolsa Família, tinha a ilusão que o PT seria mais seletivo nas alianças e zelaria por um mínimo de ética. Foi-se a ilusão.

Tenho medo da vitória de Dilma. O PT terá que radicalizar. A direção que lhe resta é aumentar as apostas na direção de um bolivarianismo tupiniquim. Vão criar comitês de bairro, com camisas vermelhas, para conduzir as melhorias buscadas pelos mais pobres. Cercear a imprensa, talvez controlar a entrega do papel, como praticado na Argentina. Vai ser dureza. O PT e os partidos que lhe apoiam não terão outro caminho. As investigações derivadas da operação Lavajato, com Paulo Costa, doleiros e outros abrindo o bico, vão pegar muita gente graúda. Renan Calheiros vai perder as mechas tão cuidadosamente implantadas. Essa turma vai pegar pesado. Vai sobrar pra gente.

Dias Perfeitos (Raphael Montes)

Muito bom. Morri de inveja do trabalho desse “menino” que lançou o livro com 23 anos. É cativante o ritmo da história de um psicopata é sua paixão, que teria que ser doentia. Proporcionou boas horas do prazer da leitura. Lendo algumas críticas no site ficou a dúvida se eu estou me satisfazendo com pouco ou a rapaziada tá tendo crises agudas criticice. Que venham os raphaeis e fernandas torres para produzir boa leitura pra gente.

O Belo Futuro Que Nos Espera

Colin Green, a professor of water economics at Middlesex University, wrote in an email that he tells his students three things: “(1) they will not be able to retire until they are 75; (b) they will need to become vegetarians because we don’t have enough water to support a high meat based diet; and (c) that when they go to the supermarket, they will need to take their urine with them which will be analysed and then they will be able to buy food with the same phosphorus content as the urine they bought in.

Keep calm e aproveitem o momento.

(de newrepublic.com)