Votemos em Aécio

As baixarias, vi mais as grosserias do PT. O partido e o governo fizeram uma campanha para iludir o povo. O fato é que a corrupção foi orquestrada pelo PT e seus aliados para canalizar dinheiro para os cofres do PT ou de petistas mais sofisticados. Do outro lado, vi Dilma dizer que Marina é candidata do Banco Itaú. Enquanto isso, Dilma coletava 4 milhões de reais do banco para sua campanha. O PT faz campanha dizendo que Aécio bate em mulher e outras baixarias. Diz que ele vai acabar com salário mínimo e o bolsa família. O PT fez uma campanha sórdida, do tipo vencer a todo custo. Custou meu voto.

Dilma não me representa. É o poste que Lula nos impôs. Tô fora. Meu voto vai para Aécio.

o Brasil partido: 50% e 50%

Ainda falta uma semana para o segundo turno da eleição presidencial. Pelo andar da carruagem, além das baixarias da reta final, é certo que o Brasil vai ficar dividido pelo resultado. Ganhando o PT ou PSDB, a população se dividirá salomonicamente na escolha de seu candidato preferido. Apesar de muitos se censurarem em comentar, é fato que o nordeste e norte mais pobres, mais ignorantes (não me culpem, culpem o eterno Sarney, parceiro da Dilma, que arrasou o Maranhão) vão cerrar fileiras com a candidata do padinho Lula. Já o sul, mais preocupado com propostas de equilíbrio da economia ou da simples mudança, vai de Aécio. Parece que a corrupção do PT (não que outros partidos tivessem agido diferente se tivessem no poder) chocou a população. O eleitorado mais esclarecido e independente da Bolsa Família, tinha a ilusão que o PT seria mais seletivo nas alianças e zelaria por um mínimo de ética. Foi-se a ilusão.

Tenho medo da vitória de Dilma. O PT terá que radicalizar. A direção que lhe resta é aumentar as apostas na direção de um bolivarianismo tupiniquim. Vão criar comitês de bairro, com camisas vermelhas, para conduzir as melhorias buscadas pelos mais pobres. Cercear a imprensa, talvez controlar a entrega do papel, como praticado na Argentina. Vai ser dureza. O PT e os partidos que lhe apoiam não terão outro caminho. As investigações derivadas da operação Lavajato, com Paulo Costa, doleiros e outros abrindo o bico, vão pegar muita gente graúda. Renan Calheiros vai perder as mechas tão cuidadosamente implantadas. Essa turma vai pegar pesado. Vai sobrar pra gente.

O Belo Futuro Que Nos Espera

Colin Green, a professor of water economics at Middlesex University, wrote in an email that he tells his students three things: “(1) they will not be able to retire until they are 75; (b) they will need to become vegetarians because we don’t have enough water to support a high meat based diet; and (c) that when they go to the supermarket, they will need to take their urine with them which will be analysed and then they will be able to buy food with the same phosphorus content as the urine they bought in.

Keep calm e aproveitem o momento.

(de newrepublic.com)

Álcool na Rússia

Achei no Digg um artigo da Vanity Fair sobre a Rússia, que expõe as mazelas da república expansionista de Putin. O tópico sobre álcool confirma o senso comum de que a vodka move os russos:

Twenty-five percent of Russian men still die before the age of 55, many from alcoholism and the violent deaths, plus other diseases it fosters. A protégé of Feshbach’s, Mark Lawrence Schrad, has recently published a book called Vodka Politics, which analyzes how vodka has been used throughout Russian history, from tsars to dictators, as a means of social control. Cheap vodka and cigarettes were among the first free-market products available after Communism. When a partial government crackdown regulating sales of alcohol in 2009 occurred and vodka’s price went up, some hard-core alcoholics simply switched to perfume or antifreeze. The government also jacked up prices on beer, often imported or owned by foreigners, and further drove the population to harder stuff. Schrad, a political scientist at Villanova, has also written that 77 percent of kids between the ages of 15 and 17 drink vodka regularly; in rural areas, the percentage can be as high as 90.

só queria entender: por que devemos usar cintos de segurança nos carros e os passageiros andam em pé nos ônibus?

É inquestionável: O uso de cintos de segurança contribui para diminuir a gravidade dos acidentes nos carros. Quantas pessoas foram salvas pelos cintos de serem jogadas contra os volantes dos automóveis, mesmo em pequenas colisões. Sem dúvida foi um avanço na segurança nos transportes. Então, por que os ônibus são autorizados a trafegar com passageiros em pé, sem nenhuma proteção para acidentes. Conheço um caso em que dois irmãos foram jogados contra os bancos e tubos do interior do ônibus, quando este se envolveu numa colisão no Centro do Rio. Um rapaz quebrou o fêmur e o outro teve um edema cerebral. Se estivessem sentados com cinto de segurança, seria apenas um susto.

Então, qual é a hipocrisia da vez? É certo que o uso dos cintos nos carros já diminui muito os efeitos dos acidentes sobre os passageiros. Mas, e os simples mortais que andam de ônibus? A legislação não devia protegê-los também? Criou-se lei recente obrigando os ônibus a terem ar condicionado. Ótimo. No calor escaldante do Rio, um frescor dentro do ônibus será muito bem recebido. Mas, e a segurança? Não devia ter lugar sentado para todos nos ônibus? E todos usando o cinto.

Eu só queria entender…

o que é melhor: menos empregados ganhando melhor ou mais empregados ganhando menos?

Obama quer aumentar salários dos pobres. Warren Buffett acha que salários maiores levam os empresários a contratar menos.

Obama has proposed raising the federal minimum wage from $7.25 to $10.10 an hour as one way to lift Americans out of poverty. While some research shows that a minimum wage hike would boost the economy and eventually create jobs, some argue that a minimum wage hike would discourage businesses from hiring workers because of increased payroll costs. Buffett noted in his interview with CNBC that “there’s tradeoffs on the minimum wage and you can do all these studies but they don’t know.” (Huffpost News)