Liberar Drogas. Por que você é contra?

a quem interessa não liberar?

No futuro, as drogas serão liberadas. De uma forma ou de outra, a humanidade precisa de estimulantes ou anestesias para passar pela vida. O caminho será longo. Antes disso, assistiremos muitos defendendo a proibição do uso das drogas. Políticos hipócritas patrocinados por empresas que já produzem drogas legalizadas vão defender seu mercado. Religiosos ignorantes interessados em “cuidar” de suas ovelhas vão usar Deus para dizer às pessoas o que podem ou não fazer. Algumas vozes sensatas advogam a liberação. O jornal O Globo desse sábado, 08.08.98, trouxe algumas opiniões de especialistas a favor da liberação.

Ethan Nadelmann, diretor-executivo da Drug Policy Alliance, defensora de soluções alternativas para problemas das drogas resume: “Regulamentação é a minha bandeira. Não estou aqui par dizer que a maconha é maravilhosa, e tampouco para dizer que o usuário está livre dos riscos da dependência. Estou aqui para dizer que a proibição, além de ineficaz, hipócrita e contraproducente, é cada vez mais um tremendo desrespeito aos direitos humanos, pois criminaliza milhões de pessoas que usam certas drogas e não outras.” Podemos contrariar este raciocínio? Difícil. Pode-se desvirtuar a discussão, entortar os argumentos, mas a liberação das drogas parece ser caminho inescapável. Diz Nadelmann: “Regulamentar a produção e compra da maconha, por exemplo, dificultaria o seu uso pelos menores e a qualidade do produto poderia ser controlada.” Também tiraria o dinheiro que financia os traficantes e o crime organizado. Será que isso interessa a quem manda na sociedade brasileira?

A conclusão de Nadelmann e da psicanalista Maria Thereza Aquino, diretora do Núcleo de Estudos em Atenção ao Uso de Drogas, que participou do debate, é de que “a saída é adotar medidas que tornem menos daninhas as consequências desse mercado.” Temos que viver com esta realidade. Será que é difícil perceber – exemplo usado por Maria Thereza – que, em se tratando da maconha, o usuário só morre se um caminhão cheio da droga passar por cima dele.

Um comentário em “Liberar Drogas. Por que você é contra?”

  1. Infelizmente, ainda teremos pessoas com “mente pequena”, que pouco se importam com os demais…
    Argumentos não faltam para pegar mais e mais desavisados…enqunto isto, famílias , crianças e jovens padecem, morrem…a sociedade se autodestrói, com o apoio de quem deveria cuidar e não aniquilar!
    Sem contar que muitos que defendem estão com interesses próprios escondidos, ou camuflados!
    Dá tanto medo educar, formar um cidadão…dá tanto “custo”, que para alguns é mesmo interessante a liberação! A consciência dói menos…se é que a tem…

    Respondendo: Obrigado Zack pelo comentário. De certa forma temos a mesma posição. Não acho que simplesmente proibir certas drogas seja a solução. O assunto drogas é para se educar, formar cidadãos, mesmo que isso tenha custo. Manter uma estrutura de repressão falida, que incentiva o mercado de drogas através do aumento do valor do produto proibido, isso sim pode ser identificado como contribuir para que famílias, crianças e jovens padeçam. Note que os interesses próprios escondidos estão mais provavelmente com aqueles que professam o discurso simplista de manter a demonização de algumas drogas sem discutir o tema sem preconceitos. Esse assunto vai longe…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.