Caso do menino Sean: agora eu entendi!

O assunto rolou durante o ano de 2009. Era um tanto chato. A família da falecida mãe queria ficar com o filho. O pai americano queria porque queria o filho, que afinal é dele. O governo brasileiro foi pressionado até pela Hillary Clinton, que entrou no samba para faturar junto a opinião pública americana. Aí, teve a decisão de entregar a criança ao pai. Saída tumultuada, TV americana pagando o jatinho para ter exclusividade nas entrevistas, a mídia dos EUA expondo o rosto do menino sem o menor cuidado em preservá-lo. O dinheiro começava a aparecer na história. Então, veio a chave de ouro (e bota ouro nisso) do imbróglio: o pai pediu US$500 mil de ressarcimento pela grana que gastou para recuperar o filho. Ah, agora eu entendi. No final, lá está o que realmente interessa. Money! Dindin!

Um comentário em “Caso do menino Sean: agora eu entendi!”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.