Centro Cultural do Instituto Moreira Sales

Rua Marquês de São Vicente, 476, Gávea. tel. 3284-7400 (veja o mapa)

Centro Cultural

Imperdível para quem visita o Rio. A casa do banqueiro Walter Moreira Sales, criador do Unibanco, falecido em 2001, é uma jóia da arquitetura nacional. Localizada no alto da gávea, no final da Rua Marquês de São Vicente, já no caminho para o Parque da Cidade, a mansão impressiona pelo desenho e pompa. Sua proximidade da favela da Rocinha, que se expande em ritmo acelerado ali por perto, cria significativo contraste entre este castelo moderno e a desordem urbana do Rio de Janeiro. A casa, projeto é do arquiteto Olavo Redig de Campos, foi construída nos anos 40. Segue a grandiosidade do estilo de Niemeyer. A combinação de linhas retas, curvas, o uso do concreto, a colocam como exemplo da arquitetura de vanguarda brasileira da época. Os jardins e murais em azulejos, de Burle Marx, completam o conjunto arquitetônico. A casa foi alterada para abrigar exposições, com resultado excelente, que permite divisar a pompa do estilo de vida do banqueiro, embaixador e ministro Moreira Sales. A manutenção esmerada das instalações é mais um motivo de prazer para o visitante.

A área externa impressiona, com a bela piscina em curvas e o pequeno riacho passando ao lado da construção. Não deixem de prestar atenção às maçanetas das portas, em estilo Art Nouveau. Uma simpática cafeteria oferece sanduíches e é lugar propício à prática do café espresso. O estacionamento interno é gratuito.

Centro Cultural

A casa teve papel de destaque como personagem do filme Santiago (2007), de João Moreira Sales, filho de Walter Sales. O filme é como se um cômodo a mais da casa e mais um fator para motivar a visita. Trata-se de um caso de “veja o filme e conheça a casa” ou o contrário. O filme Santiago está disponível em DVD (clique aqui para comprar pelo Submarino).

Vejam detalhes do projeto em “Casa de banqueiro, centro cultural“.

2 thoughts on “Centro Cultural do Instituto Moreira Sales”

  1. Prezados senhores organizadores da exposição de fotos da familia
    Imperial no exilio.
    Gostei muito da disposição das fotos mas a leitura que indica o reconheçimento de cada quadros estão mal colocada. e bem abaixo de modo que força a posição do corpo
    tornando dificil a leitura. Sei que esse pormenor não é de orçada dos organizadores mas bem que poderiam pedir á museologa para atender esse pequeno pedido.
    Cordialmente agradeço
    Hélène Marie Therese

    Rspondendo: Oi Hélène. A gente não é da administração do Instituto. Sugerimos entrar no site do IMS. De todo modo, deixamos seu comentário e solicitação.

  2. O IMS é motivo de orgulho para todos os brasileiros, pois dá uma demonstração viva de que a competência viabiliza os resultados do dinheiro aplicado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.