Junin de Los Andes, Vulcão Lanin, Lagos Huechulafquen e Paimún

A partir de San Martin de Los Andes há excelente passeio que nos leva a conhecer imenso lago encravado nos Andes, o impronunciável Lago Huechulafquen, e chegar junto ao vulcão Lanin.

Bariloche

A partir de San Martin de Los Andes há excelente passeio que nos leva a conhecer imenso lago encravado nos Andes, o impronunciável Lago Huechulafquen, e chegar junto ao vulcão Lanin. A sucessão de vistas panorâmicas é emocionante. O lago, de tão grande, parece um braço de mar. Veja o mapa da região. O vulcão é magnífico. No verão, pode-se fazer escaladas em sua encosta. Deve ser maravilhoso. Tivemos a visão de seu cume nevado sendo açoitado pelo vento. Um show.

A saída de San Martin de Los Andes para o norte é na direção oposta ao Lago Lacar. A cidade é pequena, tem 1 km de extensão a partir do lago até começar a Rota 234 na direção de Junin de Los Andes.

Bariloche

Logo no começo da viagem aparece o vulcão Lanin prometendo o show visual que assistiremos mais tarde.

Bariloche

Conforme nos aproximamos de Junin, o vulcão vai ficando mais destacado na paisagem.

Bariloche

Depois de passarmos por Junin, pequena e exageradamente tranqüila cidade, nos abastecemos em um posto Petrobras e, à esquerda, surge a Rota 61, uma bem conservada estrada de terra na direção do vulcão. E lá vamos nós.

Bariloche

O vulcão, agora, é magnífico. Na verdade, é uma cadeia de vulcões dos quais o Lanin é o maior.

Bariloche

A estrada de terra segue tendo a sua direita o Rio Chimeruin. O mapa informa que o Lago Huechulafquen deve aparecer a qualquer momento. E numa curva, aí está ele, parecendo mais uma ponta de mar com a superfície encapelada pelo vento.

Bariloche

A Natureza se exibe indiferente aos intrusos. Quando atravessamos a ponte, vemos pequena raposa correndo com um gato entre os dentes. Nos sentimos invasores da privacidade sagrada do lugar. Um show. Depois da ponte, chegamos à margem do Huechulafquen, maior lago do Parque Lanin, com 84 km2 de superfície.

Bariloche

A Rota 61 segue pela margem norte do lago proporcionando lindas vistas.

Bariloche

Este trecho da estrada é um espetáculo visual do mais alto nível. Em seu lado esquerdo, o lago Huechulafquen vai se desdobrando com paisagens belíssimas. Do lado direito, o vulcão Lanin, agora mais perto, se mostra vaidoso. O vento levanta a neve em sua encosta que, irrigada pela luz do sol, compõe imagens inesquecíveis.

Bariloche

Este é o momento em que chegamos o mais perto do vulcão.

Bariloche

Há outro caminho para apreciar o vulcão Lanin pela face norte, através da Rota 60. Não experimentamos, fica para outra vez. Já próximos a ligação entre os lagos Huechulafquen e Paimún, temos outra visão excelente do vulcão.

Bariloche

A estrada fica mais estreita a partir de Puerto Canoa. Atravessamos uma floresta com córregos, que o veículo passa facilmente.

Bariloche

Chegamos ao final do caminho, num posto da Guarda do Parque, já na margem do Lago Paimún.

Bariloche

Atrás de nós, a montanha está bonita e uma pequena cachoeira aparece entre as árvores. Pode-se ir a pé (15 minutos) para vê-la de perto.

Bariloche

Hora de retornar pela Rota 61 deixando o vulcão e seus lagos para trás.

Bariloche

Mas ainda restavam algumas emoções. Um descuido ao volante e o carro atola na lama traiçoeira do canto da estrada. Mesmo com tração nas 4 rodas não conseguíamos sair. Uma providencial pick-up de colegas de estrada argentinos, com um cabo de aço, resolve o problema. Por sinal, a cordialidade e paciência que os argentinos dedicam aos turistas brasileiros impressionam. Pode ser devido à boa visão de serviço de turismo. Mas parece ser mesmo o jeito desse povo simpático tocar a vida.

Bariloche

Antes de chegar a San Martin, o sol já bastante baixo produz efeito avermelhado em toda a paisagem. Um final de dia de férias irretocável.

Bariloche

4 comentários em “Junin de Los Andes, Vulcão Lanin, Lagos Huechulafquen e Paimún”

  1. Gustavo…

    Tudo bem?
    O passeio a Junin de Los Andes demorou o dia inteiro?

    Abraços.

    Respondendo: Oi. Sim. A região merece dar umas paradas para apreciar as vistas. É recomendado levar sanduíches para o piquenique.

  2. Gustavo..

    Perfeito! Agora entendi tudinho…já dei uma olhadinha no site “caderneta de viagem” e gostei dos mapas.
    Agora vou pesquisar o valor dos hotéis em San Martin. Se achar alguma coisa legal…deixo aqui para vc publicar.

    Obrigada.

    Abraços

  3. Oiiii!!!
    Tudo bem?
    Bom, saiba que este blog está no 1º lugar da minha lista para programar a viagem de férias! =)
    Seguinte…em Agosto irei para Buenos Aires e Bariloche. Tenho tempo suficiente para conhecer tudo e não deixar nada para trás. Sendo assim, pensei em fazer o passeio de 4 dias para conhecer estas belas paisagens.
    Fiquei com algumas dúvidas e se puder…por favor me responda!!!! Rsrs.
    – Neste passeio eu passo pelos falados 7 lagos?
    – Aonde você se alimentou durante o dia e se hospedou durante a noite? Qual a faixa de preço dos hotéis?

    Muito obrigada!!!

    Respondendo: Obrigado pelo feedback. Estou publicando também no site http://www.cadernetadeviagem.com. Dê uma olhada quando puder. Sim, você viaja por uma boa parte dos lagos. Se der uma olhada nos mapas que publiquei nos artigos no cadernetadeviagem, dá para vê-los. Meu roteiro foi assim: 1o dia: viagem de Bari para San Martin, no 2o e 3o dias fiz passeios a partir de San Martin. No 4o dia retornei de San Martin para Bari, por outro caminho, visitando outros lagos. Dormi todos os dias em um hotel em San Martin, que, curiosamente, não me lembro quanto era a diária.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.