Bariloche: para passear


veja outros artigos sobre Bariloche: geral | levar | chegar | dormir | comer | passear | comprar | esquiar | o clima

Bariloche é uma cidade que pode ser visitada a pé. Esta é uma grande vantagem pois as preocupações com o carro ou metrô não existem em Bariloche. A boa oferta de restaurantes permite aproveitar a noite, saciando a fome despertada pelo esporte na neve.

Bariloche tem boa estrutura de turismo e vários passeios estão disponíveis. Os passeios padronizados são vendidos por pequenas agências distribuídas pela cidade. Os traslados destes passeios são feitos por ônibus ou vans. Se você tiver o azar de ficar no início do percurso, vai sair do hotel às 08.00h e ficar pelo menos uma hora apanhando os passageiros de outros hotéis. É grande perda de tempo, mas o problema é que o preço dos passeios padronizados é muito bom e inclui o traslado.

– O Circuito Chico é um passeio destinado a pessoas que só têm um dia em Bariloche. Inclui uma volta dentro do hotel Llao Llao, sem sair da van. É tosco demais! Mesmo se você tiver apenas um dia em Bariloche, fuja deste passeio.

– Subir o Cerro Otto e desfrutar de seu restaurante giratório. Todo turista de primeira viagem embarca nesses programas. Boa maneira de ver o lago do alto. Há um ônibus gratuito que sai entre Mitre e Villegas. Outra opção é pegar um remis de manhã até Piedras Blancas, onde se faz esqui nórdico, depois subir a pé até o restaurante giratório para almoçar (se a neve da estrada estiver dura suficiente para suportar seu peso sem afundar). Chame o remis antes de descer novamente e ele estará lá quando você chegar. O aluguel do esqui nórdico era 100 pesos para o dia todo em 2007. No restaurante giratório de Cerro Otto tem um esqui-bunda. É divertido, mas não esqueça as luvas. Teve um cara que desceu sem luvas e chegou embaixo com as mão sangrando, perdeu a pele.

– Viajar pelos lagos que ficam ao norte de Bariloche. São de beleza impressionante. A viagem a San Martin de Los Andes é dos mais belos caminhos desse nosso planeta. Polemikos tem uma matéria só sobre este passeio. Mostramos abaixo uma foto desse passeio só para despertar sua curiosidade.

Bariloche

– Tomar um barco para a Ilha Victoria e Bosque dos Arrayanes, que inspiraram Disney, é um passeio interessante. A floresta de pinheiros da ilha merece uma olhada.

– Mesmo para quem não esquia, é bonito ir ao Cerro Catedral ver a grande área de montanhas dedicada aos esportes de inverno. Subir no bondinho (ferro carril) e continuar nas cadeirinhas que levam ao restaurante no topo da montanha é boa pedida para os pedestres. De lá, se o tempo estiver bom, pode-se ver a cordilheira dos Andes até o Chile. O chocolate quente tomado no alto da montanha tem sabor especial. Se você pretende esquiar, não embarque nos passeios de van a Cerro Catedral. É desperdício de tempo. Use o serviço de remises. Remises são carros que você contrata para lotadas, é a melhor alternativa de transporte para 3 a 4 pessoas. Se você pedir para o hotel chamar, vai pagar um pouco mais (10 a 20%) pela viagem. Chame direto as agências. Em 2008, o preço padrão para uma corrida do Centro ao Cerro era 45 pesos (cerca de US$15).

4 thoughts on “Bariloche: para passear”

  1. Olá, mesmo sem esquiar, devo usar a roupa de esqui como proteção?Ou posso subir com outros tipos de agasalhos?Grata.

  2. Em agosto estarei indo passar 7 dias em bariloche, com uma criança de 8 anos+ meu marido.como nunca saimos do Brasil gosariamos de perguntar? se fechamos pacotes ou se lá dar comprar os passeios na hora.

    REspondendo: Sem entrar no mérito de qual é a melhor maneira de viajar – pro agência ou sozinho – sem dúvida, você pode comprar passeios diretamente nos hotéis e agências de turismo de lá.

  3. Prezado Eudes,

    Tomei diversos Trapiche Tinto, mas esses não valem como indicação. Só valem pelo preço mesmo. Mas no final das contas são bons como acompanhamento.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.