Evolução vencendo Criacionismo nos EUA 

Boa notícia. Os jovens americanos cada vez mais se consideram “nones”, quer dizer, não abraçam nenhuma religião. Também não acreditam que a humanidade sempre esteve por aqui, desde o começo dos tempos, como advogam os criacionistas e grande número de religiões.  

A revista Slate registra que, de 2009 para hoje, o número de pessoas que acredita na evolução secular (quer dizer, nossa existência no mundo não ter a ver com intervenções divinas) pulou de 40% para a maioria de 51%. Good News. O motivo maior da mudança foi o envelhecimento e morte dos que acreditam nas superstições religiosas. O fato é que as pessoas mais velhas têm posição mais conservadoras, tendendo a acreditar mais nas fantasias religiosas, tais como o Criacionismo. Mas os mais velhos morrem e são substituídos por uma geração mais esclarecida.

A morte dos conservadores se reflete sobre outros aspectos de nossas vidas. O movimento dos direitos dos gays tem um nome para isso: “generational momentum”. Algo como “evolução das gerações”, que é um “nome polido para dizer morte”. Assim diz o maior arquiteto da luta pelo casamento gay: “Esta é nossa arma secreta: as pessoas velhas morrem.”

O inferno de Petrobras e Vale 

A empresa tem dívida 500 milhões de reais. Com o petróleo abaixo de US$50, o faturamento está muito baixo. É preciso aumentar a gasolina de novo, mas o impacto sobre a inflação apavora o governo. É a Lava-Jato não dá trégua, cada dia apodrece mais a história da empresa. Virou uma empresinha comdificuldades. 

E a Vale? Também tem problemas com preço das commodities. O preço do ferro está baixo. A economia mundial patina e China teve o crescimento reduzido.  E chegou Mariana. As barragens de contenção mantidas pela empresa estão sendo identificados como de péssima qualidade. Deu num cataclisma ambiental. Vai custar pelo menos 20 bilhões de reais em custos de reconstrução e processos na justiça. O valor é respeito pela Vale vão para a latrina. 

De resto, tudo bem por aqui. 

Como ganhar mais na Megasena

Ganhar na Megasena é difícil. Porém, podemos jogar de maneira a ganhar mais, se ganharmos. O macete é apostar quando o acumulado estiver alto. Essa tática não é segredo, basta ver as filas do povo apostando quando o prêmio acumula.

Fazendo algumas contas. O número de possibilidades das combinações de seis números da Megasena é aproximadamente 50 milhões. Pagando R$3,50 por aposta, se gastássemos 3,5 x 50 milhões, que dá 175 milhões de reais, teríamos a certeza de ganhar. Como o acumulado dessa semana está em mais que 175 milhões, seria uma maneira certa de ganhar uma grana. Seria necessário ter os 175 milhões de reais e a paciência para jogar todos os números. Certo? Errado! Isso só seria verdade se você ganhasse sozinho. Continue lendo Como ganhar mais na Megasena

Atacar Taís Araújo. Isso é coisa de enrustido.

A atriz Tais Araujo não é negra. Ela é linda. Um espetáculo. Um bando de vadios gastarem seu tempo para sacanearem a menina configura mais que racismo, é falta de apreço por mulheres. Levanto a hipótese que talvez esse grupo seja formado por rapazes com problemas. Suas atitudes podem ser motivadas pela dificuldade em assumir sua florescente homossexualidade. A pressão para se esconder no armário está ficando fora de moda, mas algumas pessoas se auto-reprimem. O processo de sublimar os impulsos desencadeia distúrbios de maior ou menor agudeza. Atacar a moça, que é absolutamente bonita, é combinação de grosseria com pouco interesse pelo sexo oposto. 

Foi boa atitude da atriz de dar queixa na polícia. Os racistas devem ser responsabilizadas. Psicanaliticamente falando, eles devem desejar o castigo. Faz parte da síndrome. Como conselho aos doentes, recomendo que deixem essas práticas criminosas (racismo é crime) e libertem seus impulsos. Que tal iniciar trocando mensagens amorosas e carícias entre os membros do grupo ?

FGTS para as domésticas ajudou na decisão: está demitida!

Demiti a empregada. 

Lindo. O governo, sempre atento a melhorar a qualidade de vida do povo brasileiro, criou lei obrigando os empregadores a pagar  FGTS para suas empregadas. Eu pagava salário na carteira para uma empregada no regime de trabalho três dias por semana. A implantação desse direito das empregadas domésticas sai caro. Fica difícil negociar com as empregadas. São, em geral, pessoas humildes, que são adestradas para considerar que FGTS é um direito delas, que deve ser acrescentado ao salário. Infelizmente não é. Trata-se de mais um custo para o empregador. Convencer a empregada que ela deve aceitar diminuir seu salário para terFGTS é tarefa árdua. Talvez se o FGTS fosse opcional, patrão e empregada negociando sua aplicação, a coisa fosse mais razoável. 

Além do provável aumento do custo da empregada doméstica, a implantação da lei que trata do FGTS e outras vantagens é uma tragédia burocrática, com várias parcelas de impostos e seguros, que exigem utilização de um site (que até hoje não funciona direito). Sou zeloso do uso do meu tempo. Não quero perdê-lo seguindo os processos infernais inventados pelos sábios de nosso legislativo. 

O governo fica bem na fita. Cria um novo “direito” para as domésticas. De quebra, vai fazer caixa com os depósitos do FGTS, que será remunerado a míseros 3% ao ano.

O governo me ajudou a resolver. Demiti a empregada e passei para o modelo de diarista duas vezes por semana. Menos uma carteira de trabalho no Brasil. 

Proteção de iPhone que não protege, quebra

Mensagem: uma capinha de celular muito rígida pode empenar a tela. 

A vida digital é difícil. Todo dia temos que aprender mudanças nos sistemas operacionais, nos novos smartphones, novos aplicativos, uma ciranda. Mas o que aconteceu comigo foi mais prosaico. A placa de vídro, na verdade, a placa transparente onde acionamos os comandos com toque empenou. A questão é por que e como?

Fiz uma viagem de carro, usei o iPhone para ouvir Apple Music conectando ao som do carro por uma USB. Algum pouco sol pegou no iPhone, que estava no portatreco do painel. O sol não teria sido suficiente para deformar a placa transparente do equipamento.

Resumindo a história. Acho que o iPhone esquentou ligado, tocando musicas e carregando na USB. O problema é que o protetor do meu celular (a capinha) é feito de material rígido que não aparenta deformar. Com o calor, a placa quis dilatar e foi contida pelo “case”. Tem todo o jeito de ter sido isso.

Chato ter que trocar de celular agora. O iPhone 5 ainda tava funcionando bem. Um novo iPhone 6 sai por uns três mil reais num plano da Vivo. Usuários de Apple têm custos caros.

Hora de mudar. Vote Novo!