Todos os artigos de Gustavo Gluto

I am Pilgrim [Terry Hayes]

Eu recomendo. “I Am Pilgrim” (Eu Sou Peregrino) ainda só está disponível em inglês. É boa pedida para comprar no Kindle. É um thriller sobre aquele agente secreto atormentado que tenta se aposentar (mais um!), mas é envolvido numa missão cascuda. Se ele fracassar, pode ser o fim do mundo, ou algo perto disso. O livro é a estreia do roteirista Terry Hayes como autor de livro de história de ação. O autor tem currículo famoso, passando pelo roteiro do também thriller “O Troco”, que gerou bom filme com Mel Gibson. Hayes também é conhecido pelas primeiras edições da franquia Mad Max. O autor reconhece a forte influência do ritmo do cinema de ação em seu estilo.

O livro é bom. Continuar a lerI am Pilgrim [Terry Hayes]

por isso é fundamental passar na cafeteria dos museus

A ciência comprova o valor daquele espresso depois do passeio nos museus:

A cup or two of coffee could boost the brain’s ability to store long-term memories, researchers in the US claim. People who had a shot of caffeine after looking at a series of pictures were better at distinguishing them from similar images in tests the next day, the scientists found. (De theguardian.com)

Benício tá na área

20130127-234343.jpgO famoso desenhista dos anos 60 e 70 está de volta. Naqueles anos, Benício produziu as capas dos livrinhos da série ZZ7 – Brigitte Monfort, que se destacavam nas bancas pela qualidade do desenho. As histórias da espiã da CIA, que enfrentava vilões internacionais no mais puro estilo 007 em versão feminina, tinham o auxílio auspicioso das capas produzidas por Benício, que apresentavam belíssimas desenhos da espiã, uma morena de irresistíveis olhos azuis. O desenhista tem cada vez mais seu talento reconhecido. Neste final de ano, a Cicero Papelaria lançou bela série de cadernetas trazendo os desenhos de Benício. É boa homenagem e oportunidade para tomarmos contato com seu trabalho.

iTunes Match se ajustou às minhas necessidades

Se ajustou bem (match) ao que eu desejava para administrar minhas músicas. Pode ser comprado na loja da Apple. Depois de instalado, automaticamente identificou as músicas que eu tinha no meu micro e disponibilizou uma cópia delas para mim na Cloud. O iTunes Match, na versão de 5 GB, pode fazer isso com até 25.000 músicas! Acho que conseguirei me adaptar a esta restrição. As músicas que ficam no iTunes Match podem ser tocadas no meu iPhone, iPad ou na Apple TV, quer dizer, dá pra carregar e ouvir em qualquer lugar. O custo é de US$25 por ano. Usando a unidade monetária do site iPadDicas, este serviço custa apenas 25 obamas. Bom preço.

O detalhe é a mágica da internet de hoje. A Apple tem catalogadas 20 milhões de músicas. Quando você se conecta com o iTunes Match ele verifica se as músicas que você tem no seu disco rígido estão nos arquivos da Apple e disponibilizam a versão deles, às vezes, com melhor qualidade do que aquela que você tinha na versão que estava em seu computador. E para colocar seus CDs no iTunes Match? Outra função que vem com a usabilidade que Mr. Jobs queria oferecer. Coloquei meu CD no drive e, na hora, o iTunes perguntou se eu queria puxar para dentro dos arquivos de música deles. Um espetáculo! Agora, meu Rolling Stones, Tatoo You, está disponível em todos meus dispositivos. Show!

Tá bem que estou cada dia me enredando mais no ambiente Apple. Que se há de fazer? Eles entregam o que promete. O preço é razoável. Vamos em frente.